Engasgo em crianças

bebe_-_manobra_de_heimlich_-_asfixia_-_engasgo_-_novo

Nossa parceira Leticia Spina, enfermeira e fisioterapeuta, nos conta como proceder caso a criança engasgue.

A sufocação ou engasgamento ocupa o terceiro lugar no ranking de mortes de crianças de até 14 anos de idade vítimas de acidentes no Brasil e representa a primeira causa entre as crianças de até um ano de idade. Todos os anos, mais de 700 crianças morrem vítimas de sufocação no país.

Como acontece?

Uma das acusas mais comuns de sufocação são os engasgos, que podem acontecer principalmente de duas formas:

1 – Introdução de objetos no nariz ou na boca de maneira acidental: pode ocorrer, por exemplo, durante a brincadeira com brinquedos ou peças pequenas ou quando a criança tem acesso a milho, feijão, amendoim, outros grãos ou balas duras. Até os quatro anos, a criança fica muito exposta a esse tipo de risco, pois é nesta fase que inicia a exploração do mundo ao seu redor e, principalmente, pelo chão, por meio dos sentidos – tato, audição, paladar, visão e olfato.

2: No momento da alimentação: comum especialmente em crianças menores de três anos, pois é nesta faixa etária que o controle da mastigação está em desenvolvimento e ainda há ausência dos dentes molares importantes na trituração dos alimentos.

Quais são os sintomas?

A obstrução das vias aéreas pode ser parcial, neste caso a criança pode apresentar tosse e esboçar sons, ou total, quando a criança não esboçará qualquer som, além de apresentar os lábios arroxeados.

Como prevenir o engasgo?

  • Evite alimentar as crianças enquanto elas correm, brincam ou andam. O mais adequado é alimentá-las sentadas à mesa;
  • Mantenha longe de crianças menores de quatro anos brinquedos com peças pequenas, balas pequenas, botões, baterias esféricas, canetas com tampa removível, balões, moedas, bolinhas de gude e grãos;
  • Siga as indicações de idade ideal contida nas embalagens dos brinquedos;
  • Ofereça os alimentos cortados em pedaços pequenos e de acordo com a faixa etária. Para crianças menores de 4 anos, ofereça alimentos amassados e desfiados.
  • Evite oferecer alimentos arredondados inteiros, como uva e tomate cereja, o ideal é cortá-los;
  • Ensine as crianças a mastigarem bem os alimentos;
  • Supervisione sempre a alimentação das crianças pequenas;
  • Esteja atento quando crianças mais velhas (como os irmãos, por exemplo) oferecem objetos ou alimentos perigosos às crianças menores;
  • Evite o uso de roupas que tenham partes que podem se soltar com o tempo, como botões, pedras, enfeites e pingentes;
  • Evite o uso de acessórios pequenos que possam se soltar, como presilha de cabelo, pulseira e chupetas customizadas com pedras.

Aconteceu, o que fazer?

É fundamental que todas as pessoas que lidam com crianças estejam preparadas para realizar a manobra de desobstrução das vias aéreas. Existe uma manobra adequada para bebês até um ano e outra para crianças maiores de um ano e adultos.

Crianças até um ano:

  1. Segure a criança (de bruços) com o rosto voltado para baixo e com a cabeça mais baixa que o tórax;
  2. Cuidado ao apoiar a cabeça, sustente-a firmemente com seu antebraço;
  3. Aplique cinco golpes energéticos no meio das costas (usando o punho da mão com os dedos estendidos);
  4. Vire a criança (de barriga para cima) firmemente apoiando sua cabeça e a mantendo mais baixa que o corpo;
  5. Observe se ocorreu a saída do objeto, caso contrário aplique cinco compressões rápidas no tórax (utilize três dedos para aplicar as compressões no meio do tórax, entre a linha dos mamilos);
  6. Se esse procedimento não expulsou o objeto peça ajuda e acione o serviço de emergência (SAMU 192);
  7. Repita os procedimentos acima até a chegada do serviço de emergência.

Crianças maiores de um ano:

  1. Ao reconhecer um engasgo por objeto posicione-se atrás da criança de joelhos e atrás do adolescente ou adulto de pé.
  2. Abrace o tronco da criança envolvendo-o com os dois braços;
  3. Feche uma das mãos e coloque a parte plana (onde está o polegar) na “boca do estômago”, que fica logo acima do umbigo;
  4. Segure o punho com a outra mão e realize cinco compressões rápidas (apertando para dentro e para cima);
  5. Encoraje a criança a tossir (se ela conseguir durante a manobra);
  6. Após realizar a manobra ao menos duas vezes e perceber que o objeto não saiu ou que a criança apresenta-se pálida, com lábios arroxeados, acione a emergência (SAMU 192) e continue a manobra até a chegada do socorro ou até que a criança esteja inconsciente.

 

Thais Vac

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *